quarta-feira, 23 de março de 2011

Congresso Sul-Americano de Fisioterapia

           Um dos objetivos desse blog é, além de discutir e propagar o conhecimento, divulgar eventos em que são discutidos e apresentados novos conhecimentos em fisioterapia e MTC.
            Hoje venho aqui divulgar o Congresso Sul-Americano de Fisioterapia, que acontecerá em Búzios (RJ), de 23 a 26 de Junho deste ano.
            Por que ir a um congresso? Porque é uma celebração do conhecimento partilhado. É a oportunidade de participar de um grande encontro cientifico que dispõem de um intercâmbio de conhecimento, com a participação de verdadeiras referências da fisioterapia como ciência.
            Também é uma ótima oportunidade de manter-se atualizado e participar de discussões científicas, apresentações clínicas e experimentais.
            Fica a dica!


            Finalizo o post de hoje com texto um pouco diferente do que estão acostumados a ler por aqui. É um texto para reflexão, que aborda questões muito importantes para a nossa vida, ou melhor, para o objetivo de vida.
O texto é de George Carlin, e tive a oportunidade de lê-lo por intermédio da Maria Fernanda, uma fisioterapeuta que vem me ajudando muito. Leia, mas não simplesmente leia, acrescente o texto ao seu viver, e façamos de nossas vidas, vidas melhores.
           
O Paradoxo do Nosso Tempo

Nós bebemos demais, fumamos demais, gastamos sem critérios, dirigimos rápido demais, ficamos acordados até muito mais tarde, acordamos muito cansados, lemos muito pouco, assistimos TV demais e rezamos raramente
Multiplicamos nossos bens, mas reduzimos nossos valores. Nós falamos demais, amamos raramente, odiamos freqüentemente. Aprendemos a sobreviver, mas não a viver; adicionamos anos à nossa vida e não vida aos nossos anos.
Fomos e voltamos à Lua, mas temos dificuldade em cruzar a rua e encontrar um novo vizinho. Conquistamos o espaço, mas não o nosso próprio.
Fizemos muitas coisas maiores, mas pouquíssimas melhores.
Limpamos o ar, mas poluímos a alma; dominamos o átomo, mas não nosso preconceito; escrevemos mais, mas aprendemos menos; planejamos mais, mas realizamos menos.
Aprendemos a nos apressar e não, a esperar.
Construímos mais computadores para armazenar mais informação, produzir mais cópias do que nunca, mas nos comunicamos menos.
Estamos na era do 'fast-food' e da digestão lenta; do homem grande de caráter pequeno; lucros acentuados e relações vazias.
Essa é a era de dois empregos, vários divórcios, casas chiques e lares despedaçados.
Essa é a era das viagens rápidas, fraldas e moral descartáveis, das rapidinhas, dos cérebros ocos e das pílulas "mágicas".
Um momento de muita coisa na vitrine e muito pouco na dispensa.
Uma era que leva essa carta a você, e uma era que te permite dividir essa reflexão ou simplesmente clicar 'delete'.
Lembre-se de passar tempo com as pessoas que ama, pois elas não estarão por aqui para sempre. Por isso, valorize o que você tem e as pessoas que estão ao seu lado.

3 comentários:

Carol disse...

Muito interessante! Certamente estarei lá.
Obrigada pela dica.

Raphaela disse...

O Evento do Ano!

Presença certa!
Até lá...

Claudio disse...

Oportunidade maravilhosa para conhecermos novos recursos tecnológicos!!